Como surgiu a ideia de montar um canal de conteúdo voltado para o universo da gastronomia? Como engajar o público em relação ao assunto da produção industrial de alimentos? Foram perguntas como essas, feitas por Rodrigo Lanari, que movimentaram a terceira palestra dos “Diálogos 140” sobre Influenciadores digitais, realizado na semana passada na Unibes Cultural, em S. Paulo.

Ailin Aleixo, contou um pouco sobre sua transição da mídia impressa para o meio digital e como se adaptar às diferentes plataformas disponíveis: “Eu me considero uma jornalista que escreve para diversas plataformas, mas meu dia a dia é online. Nesse meio tive que criar uma maneira de fazer o conteúdo que eu quero passar por meio de linguagens diferentes que se adequam a plataformas diferentes. Eu acho muito importante que, primeiro, você saiba o que quer dizer, porque você está fazendo aquilo e, na medida em que se começa a dominar o assunto, você começa a dominar a forma de tratar esse assunto em diferentes mídias.”

A influenciadora falou, ainda, sobre alguns mitos relacionados à profissão, principalmente, relativo ao volume de produção “É legal você ter volume, porque ele sempre ajuda na indexação do público, mas a frequência de acessos no seu site depende muito da qualidade daquilo que você posta. Você pode colocar notícias que bombem, como notícias sobre celebridades, que geram tráfego, mas não geram qualificação. Mas para quem você vai vender isso?”

A conversa contou, ainda, com a participação de Patrícia Abbondanza, do canal Dedo de Moça. Patrícia contou que hoje o Dedo de Moça decidiu voltar-se para a produção de conteúdo de autoria própria. Ela contou que no último ano a demanda das marcas para criação de conteúdo exclusivo foi muito grande, mas que o momento é de monetizar o seu produto. “Nosso desafio hoje é criar uma equipe enxuta para que possamos focar em nosso planejamento e, assim, produzir nosso conteúdo como mesmo critério e qualidade com que produzimos para as marcas.”

A criadora do Gastrolândia aproveitou para falar sobre o fato de seu canal ter sido taxado como polêmico, principalmente devido ao fato de seu tom de protesto contra o uso de agrotóxicos e da grande indústria de alimentos. “Eu não acho que falar sobre fatos seja polêmico, eu sou jornalistas, apenas narro o que acontece. Na minha opinião, polêmico é nós usarmos mais de 20 agrotóxicos que já estão proibidos na União Europeia.”

Gestores de marcas e os influenciadores

“Diálogos 140” é uma série de eventos sobre o movimento de produção de conteúdo surgido a partir das novas plataformas digitais. Regularmente influenciadores e marcas conhecidas em suas áreas serão convidadas para contar suas histórias e falar sobre seus modelos de negócios.

“Queremos contribuir para divulgar esta causa: qualquer pessoa que tenha uma boa ideia e uma câmera na mão pode amplificar a sua mensagem para milhões de pessoas, e ser dono de um canal, graças à distribuição de seu conteúdo em plataformas digitais. É o que chamamos de quinto poder, que se complementa e se soma à mídia tradicional. Ao invés de abordarmos este assunto do ponto de vista acadêmico e científico, entendemos mais interessante ouvir quem está desenvolvendo esta nova produção, de que forma, quais os conceitos e formatos e como estes influenciadores obtiveram relevância e audiência”, diz Ricardo Braga, diretor da 140, operação de Relações Públicas digitais da Art Presse.

“Para os gestores de marcas estes eventos podem ser importantes para ter um contato com este universo não só do ponto de vista de uma plataforma de mídia mas também entender o propósito e causa que movem estes influenciadores”, finaliza Ricardo.

A próxima edição do Diálogos 140 acontecerá na Unibes Cultural, no dia 27 de setembro, às 20h e terá como tema a produção de conteúdo digital para o mercado de moda. Esperamos você lá.

Patricia Abbondanza, Rodrigo Lanari e Ailin Aleixo: usuários nas redes sociais são famintos por interação.

Deixe uma resposta